Blog

Economia Circular: recuperação de Solventes Industriais

Economia Circular: recuperação de Solventes Industriais

O mundo tem cada vez mais pessoas. Especialistas estimam que estaremos próximos dos 9 bilhões de habitantes em 2030. Além disso, cerca de 3 bilhões de novos consumidores devem surgir até o final desta década. É nesse contexto que a economia circular se torna tão necessária. 

A economia circular repensa sobre como podemos consumir sem causar tantos impactos ambientais ao planeta. Assim, com cada vez mais pessoas consumindo recursos e gerando resíduos, somente novas lógicas econômicas se tornam efetivamente sustentáveis

Neste texto, a Filtroil te conta mais sobre o que é a economia circular e como sua indústria pode se beneficiar, economicamente e ambientalmente, dessa abordagem. 

O que é economia circular

Para entendermos como funciona essa abordagem, é importante lembrarmos dos passos da economia liner: 

extrair → produzir → descartar

Assim, essa linha relaciona, diretamente, o crescimento das empresas ao consumo de recursos, com descarte elevado de resíduos. 

A economia circular, em contraposição, busca resolver, em todas as etapas da linha acima, o modo como usamos e descartamos os recursos. De acordo com o livro de Catherine Weetman (2019):

A economia circular é muito mais ambiciosa do que a reciclagem de materiais ou "zero lixo para os aterros sanitários". Ela amplia a cadeia de valor para abranger todo o ciclo de vida do produto, do início ao fim, incluindo todos os estágios de fornecimento, fabricação, distribuição e vendas. Pode envolver o redesign do produto, o uso de diferentes matérias-primas, a criação de novos subprodutos e coprodutos e a recuperação do valor das antigas sobras dos materiais usados no produto e no processo. 

Desse modo, tal visão de economia busca traçar estratégias em diferentes estágios da produção para aproveitar ao máximo todos os recursos disponíveis. 

economia ciruclar

Estratégias industriais para a economia circular? 

Agora que você já sabe mais sobre a abordagem circular, vamos pensar em como as indústrias podem colocar essa estratégia na prática. 

Abaixo veja algumas atividades que participam de uma economia circular:

  • Oferta de serviços junto com o produto; 
  • Compartilhamento de espaços, máquinas e estruturas;
  • Uso de insumos circulares;
  • Recuperação de recursos e produtos;
  • Extensão da vida útil de um produto; 
  • Virtualização, ou seja, entrega de valor por meio virtual. 

Para tanto, a inclusão da abordagem circular em seu negócio depende de uma mudança estrutural nas atividades, considerando o máximo aproveitamento dos recursos. Com isso, é possível reduzir custos a longo prazo, garantir a adequação às normativas existentes e, claro, assumir o compromisso com a redução dos danos ambientais.

Por que investir na recuperação de solventes? 

Quando pensamos nos impactos ambientais da economia linear, o descarte de resíduos industriais é um dos problemas mais graves. Dessa forma, é fundamental que se busque alternativas para atenuar esse contratempo. 

No caso das indústrias, a recuperação dos solventes utilizados nos processos de produção é uma alternativa para melhor aproveitamento dos recursos e reduzir a quantidade de material descartado após a utilização. 

É importante destacar que o uso de solventes orgânicos nos processos industriais exige atenção em todas as etapas: transporte, manuseio, estoque e, sobretudo, descarte desse material após a utilização. Assim, a recuperação dos solventes pode reduzir custos para a indústria, bem como o impacto ambiental de suas atividades. 

Em relação à redução de custos, a opção pela recuperação dos solventes diminui gastos com o tratamento de efluentes, bem como a necessidade de aquisição de mais matéria prima. 

Destilação de solventes

Para tanto, um dos processos mais utilizados para recuperação é a destilação dos solventes orgânicos. Com ele, uma mistura de solventes é submetida a temperatura até que entre em ebulição. O vapor obtido é condensado e separado da borra úmida que resta após a destilação. 

Existem dois tipos de destilação: 

  • Simples: na destilação simples, esse processo é feito uma única vez. Por isso, a mistura de solventes pode conter mais impurezas. 
  • Fracionada: com o uso de uma coluna de fracionamento, o processo de destilação é feito de maneira fracionada, com estágios de equilíbrio diferentes. Dessa maneira, o material gerado é mais puro. 

Em uma indústria, o segundo procedimento é o mais indicado, porque garante a pureza e, consequentemente, a preservação das propriedades complexas de um solvente. 

Dica da Filtroil

Considerando tudo o que foi dito até aqui, a Filtroil reforça a importância de você contratar produtos de uma empresa especializada para a recuperação dos seus solventes industriais. Assim, você tem a certeza de que todo o processo será feito com o cuidado necessário para, de fato, inserir sua indústria em uma economia circular funcional. 

Se você procura a melhor empresa para auxiliar na recuperação de solventes ou outras soluções para uma economia circular, fale com um de nossos especialistas. Teremos grande satisfação em encontrar a melhor solução para o seu negócio. 

Fontes: 

LATYKI, Bruna L.. Comparação entre os métodos de recuperação de solvente industrial por destilação simples e fracionada. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia Química) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Ponta Grossa, 2017.

WEETMAN, Catherine. Economia circular: conceitos e estratégias para fazer negócios de forma inteligente, sustentável e lucrativa. 1 ed. São Paulo: Autêntica, 2019. 

Fale com um Especialista

Tire todas as suas dúvidas falando com nossos especialistas, estamos preparados e prontos para falar com você.

Grupo Filtroil - 2022 © Todos os Direitos Reservados Desenvolvido por WEBi