Blog

Realize corretamente a amostragem de óleos para análises

Realize corretamente a amostragem de óleos para análises

É comum que as indústrias realizem periodicamente a análise de óleos, pois é através desse procedimento que é feito o monitoramento da qualidade dos ativos industriais, fator determinante para garantir a total confiabilidade desses elementos.

Com a análise, uma série de características podem ser avaliadas, entre elas, a viscosidade, acidez e o grau de contaminação de partículas sólidas. Além disso, também pode ser observada a presença e concentração de água, aditivos no óleo e muitos outros parâmetros.

É de suma importância a definição do ponto e procedimentos de amostragem adequados, a fim de obter uma reprodução confiável do que realmente está em circulação no sistema do maquinário.

Continue a leitura e saiba como realizar a correta amostragem de óleos para análises!

amostragem de óleos

A importância de uma análise bem feita

A Filtroil é referência quando o assunto são os óleos industriais. Isso porque realizamos análises em óleos de máquinas hidráulicas, máquinas que utilizam óleo lubrificante, além de máquinas que utilizam óleo térmico. Mas, é importante que você saiba que para garantir o máximo desempenho de todo esse maquinário, uma eficiente amostragem de óleos deve ser realizada.

Nesse contexto, a manutenção preditiva é essencial para a análise dos óleos, com avaliações laboratoriais capazes de detectar o desgaste das peças e contaminações que atingem o interior dos equipamentos. Mas claro, a técnica de análise só terá um resultado positivo se as avaliações laboratoriais forem rápidas e precisas. Dessa forma, o diagnóstico ajudará a equipe de manutenção a antecipar as correções no maquinário, impedindo o comprometimento ainda maior dos equipamentos.

Entenda como funciona a amostragem de óleos

A análise de óleo pode ser realizada com vários testes de laboratório por meio de uma pequena amostra. O primeiro passo é definir a quantidade e os tipos de máquinas que necessitam da análise periódica. Depois, é o momento de definir qual será o ponto para  coleta dos fluidos, como por exemplo em reservatórios, antes ou após elementos filtrantes ou ainda equipamentos (bombas, redutores, etc) específicos de cada sistema.

Alguns cuidados na obtenção destas amostras são essenciais para um resultado mais preciso, portanto:

- É preciso garantir a homogeneidade da amostra;

- A coleta deve ser feita preferencialmente com o equipamento em operação;

- Não pode haver contaminação no recipiente e no local de retirada da amostra;

- O ponto de coleta deve ser sempre o mesmo;

- É recomendado deixar escoar um pouco de lubrificante antes da coleta;

- Normalmente a quantidade ideal para coleta é de 250 ml;

- É fundamental identificar a amostra com todas as informações necessárias solicitadas pelo laboratório (ex: fabricante e modelo do fluído, quantidade de horas de operação, identificação do equipamento, etc).

Em laboratório, o diagnóstico da situação do maquinário costuma sair em um curto período de tempo. A produção de um relatório com diagnóstico e recomendações técnicas é de suma importância para a correta interpretação dos resultados e auxílio na tomada de decisão do gestor de manutenção, pois poderá indicar os procedimentos mais adequados para a correção dos problemas encontrados nas amostras.

amostragem de óleos

Quais são os tipos de análise?

Se você chegou até aqui, já percebeu a importância que a amostragem de óleos exerce na rotina de uma indústria. Agora, a Filtroil mostra para você os diferentes tipos de análises que podem ser realizadas para detectar se o óleo está contaminado ou não. Isso é mais comum do que se imagina, até mesmo por substâncias como a água ou o combustível, por exemplo.

Físico-química: avalia a capacidade de isolamento e o estado do óleo que está no equipamento. É nesta análise que poderá ser feito o teste de cores e densidade, verificando possíveis mudanças na composição;

Contaminação: detecta substâncias que não deveriam estar presentes no óleo e que representam a perda de produtividade nas operações, como água, poeira, partículas oriundas do desgaste, ar, entre outras.

Espectrometria: ideal para detectar a presença de elementos metálicos como cobre, alumínio, ferro e cromo, ou seja, identifica a composição elementar das partículas nas amostras;

Ferrografia: através da quantificação e da observação de partículas em suspensão no óleo, esse método é capaz de avaliar o desgaste dos elementos de um equipamento.

E então, o nosso conteúdo ajudou você a entender como realizar a amostragem de óleos para análises? Caso ainda tenha alguma dúvida, é só entrar em contato conosco!  E não esqueça, para continuar recebendo nossos materiais, você só precisa seguir a Filtroil no Facebook e no Instagram!

Fale com um Especialista

Tire todas as suas dúvidas falando com nossos especialistas, estamos preparados e prontos para falar com você.

Grupo Filtroil - 2022 © Todos os Direitos Reservados Desenvolvido por WEBi